Animais de estimação sentem mais fome no Inverno: mito ou verdade?


O frio chegou em boa parte do Brasil e junto com ele antigos hábitos, tais como ofertar mais alimentos para os animais de estimação. Dizem que "eles sentem mais fome no frio", mas será que isso é verdade? A médica veterinária da PremieRpet® Keila Regina de Godoy garante que isso não corresponde à realidade brasileira e explica abaixo os motivos.


Uma situação que se repete ano após ano: as temperaturas começam a cair e algumas pessoas passam a incrementar as refeições de seus cães e gatos com "um tantinho de alimento a mais" no prato. O agumento: "eles sentem mais fome no frio", ou ainda: "eles precidsam de mais calorias para manter a temperatura corporal". 





Crédito: Shutterstock.

Mas, afinal, isso é mito ou verdade?
A resposta é: MITO!

Sem saber, essas pessoas estão cometendo um engano e contribuindo para um desequilíbrio alimentar, o que pode levar seus animais de estimação a um quadro de sobrepeso e até mesmo à obesidade!
De acordo com Keila Regina de Godoy, médica veterinária e gerente de capacitação técnica da PremieRpet, empresa especialista em alimentos de alta qualidade para cães e gatos, o inverno brasileiro pode ser considerado ameno e não demanda um incremento de calorias para os pets.
“Estamos em um país tropical onde o inverno é ameno. E devemos levar em conta que a grande maioria dos pets que têm dono vive dentro de casa e não fica exposta por longos períodos às baixas temperaturas. Muitos possuem camas, roupinhas e cobertores para se abrigar do frio”, explica Keila.
Segundo ela, a situação é diferente de países onde o frio é muito intenso e, de fato, o organismo dos animais têm um gasto energético adicional para manter a temperatura corporal. “Nesses locais de inverno rigoroso, sim, os cães e gatos podem necessitar de um incremento na quantidade de alimentação para compensar as necessidades, principalmente se frequentam áreas externas à residência”, esclarece.
Portanto, fica o alerta: no Brasil o inverno não é desculpa para aumentar a comida do pet! “Exceto se o animal em questão vive ao relento em um local de frio intenso, por exemplo, um cão de pastoreio no Rio Grande do Sul”, exemplifica Keila. Em caso de dúvidas, ela orienta consultar sempre o médico veterinário antes de mudar algo na alimentação do pet.
E atenção: nos meses frios é muito importante não descuidar da hidratação do pet, pois ele pode sentir menos sede e consequentemente ingerir menos água. É importante caprichar na oferta de água, sempre limpa e fresca, e evitar muita exposição a aquecedores.



Sobre a PremieRpet®
Pioneira na fabricação de alimentos Super Premium no Brasil, a PremieRpet® é uma empresa 100% nacional, especialista em nutrição de alta qualidade para cães e gatos. Com 20 anos de atuação, está presente em todas as regiões do país e possui uma das mais modernas fábricas da América Latina. Constantes investimentos em tecnologia, pesquisa e desenvolvimento de produtos propiciam à PremieRpet® uma atuação marcada pela inovação. Foi a primeira empresa no mundo a desenvolver uma linha alimentos para Raças Específicas, pioneira na produção da linha Ambientes Internos no Brasil, e é a única que detém a tecnologia DUO, que permite variar o cardápio de cães e gatos sem a realização da troca gradativa. Suas mais recentes inovações são a linha de alimentos coadjuvantes PremieR Nutrição Clínica, e a linha PremieR Seleção Natural, com proteína de frango Korin. Em 2016 entrou para o segmento de petiscos com o lançamento de PremieR Cookie e em 2017 para o segmento de alimentos úmidos com a linha PremieR Gourmet. O portfólio da marca inclui mais de 200 itens, comercializados exclusivamente em pet shops e clínicas veterinárias. Mais informações no site www.premierpet.com.br ou pelo PremieR Responde: 0800 55 6666 (de segunda à sexta das 8h30 às 17h30).






Comentários

Postagens mais visitadas