O imediatismo nos dias atuais


Ainda me lembro de quando a tecnologia avançada não estava presente em nossas vidas, existia a esperança de que ela viria para apenas agilizar o dia a dia e trazer  benefícios incontáveis, fico me perguntando até que ponto agora isso realmente aconteceu.
Tenho guardado um telefone daqueles de girar com o dedo, tínhamos que esperar o número voltar para colocar outro, não tinha jeito de fazer com que ele fizesse isso mais rápido, então esperávamos pacientemente, os orelhões nas ruas eram de fato necessários e ajudavam muito, era só colocar uma fichinha de metal e pronto, a ligação era completada. Anotar as tarefas no bloquinho de notas era a suprema organização, assim como a listinha de compras do supermercado ou deixar recados pendurados na geladeira, fazer calendários coloridos e escrever em agendas todos os compromissos importantes, não tinha como esquecer, pois descobri essa semana que quando você escreve o cérebro grava de um jeito diferente, ou seja, é bem capaz de você lembrar sem precisar ler, isso não é incrível!
                              

Se pararmos para pensar a vida antigamente funcionava do mesmo jeito, conseguíamos fazer as mesmas coisas, cumpríamos nossos compromissos da mesma forma, não havia nada que não pudesse ser feito, mas tenho a sensação de que o tempo passava diferente.
O imediatismo de hoje em dia faz com que deixemos de perceber muitas vezes que em determinadas ocasiões não podemos fazer nada e isso nos causa um profundo sentimento de derrota, muitas vezes somos tomados pelo medo de não conseguir completar os compromissos diários, mas esquecemos de que amanhã é outro dia e tem coisas que não dependem apenas do nosso esforço pessoal, muitas vezes depender do outro faz parte também. Hoje em dia se esquecer de comprar um remédio na farmácia já nos deixa alterados e logo vem a frases “Eu esqueci de novo” ou “Ando esquecendo muito as coisas”ou ainda “É a correria, eu não tempo pra nada".

                            


A maioria das pessoas que eu conheço ultimamente nem respira direito, está sempre ofegante e preocupada com tudo o tempo todo, muitas vezes deixa passar despercebido coisas que estão bem debaixo do próprio nariz. Na verdade isso acontece com todos ultimamente e é mais comum do que parece.
A semana tem sete dias, mas às vezes parece ter apenas três, falta tempo para tudo, até tomar um café com as amigas, rsrsrs.
Resolvi escrever hoje sobre o imediatismo dos tempos modernos e para mim o maior culpado somos nós mesmos, afinal quem vai reclamar da tecnologia, muitas pessoas trabalharam muito para nos proporcionar facilidades diárias, como o celular, por exemplo, existe algum objeto mais apaixonante do que ele? Podemos resolver qualquer problema a qualquer hora do dia e em qualquer ocasião, até mesmo de madrugada.
A questão é, será que estamos usando essa tecnologia da maneira correta? Para mim a resposta é não!
O simples fato de você não atender o celular faz com que seu dia estrague totalmente, não importa o que estamos fazendo, atenda o celular, responda nos grupos, veja o saldo bancário, desmarque a consulta médica, anote no bloco de notas, coloque o despertados para funcionar, atualize a lista de músicas, anote o resumo para a prova entre outros,  e de repente a bateria acabou e você esqueceu o cabo em casa, sem ele você não conseguirá carregar o celular e não responderá os grupos, nem desmarcará a consulta, muito menos estudar para aquela prova ou ouvir sua música preferida, pronto...o mundo acabou de vez.
Essa sensação tem levado muitas pessoas a desenvolverem doenças como ansiedade, compulsão, depressão e tocs diversos. Bater os dedos, roer as unhas, virar os olhos, piscar duzentas vezes por minuto etc... Com isso a procura por remédios aumentou nos últimos tempos, e as terapias alternativas ganharam espaço.
Muitas vezes acontecem episódios mais graves como dirigir e teclar ao mesmo tempo e causar um acidente sério, vejo isso com muita frequência, as pessoas não se importam nem com elas e nem com os outros, então eu pergunto, agir assim vale mesmo a pena? Não devíamos estar concentrados em fazer uma coisa de cada vez, muitas vezes ter um dia perfeito não está em nossas mãos. E afinal quem disse que precisa ser perfeito? Aprender com os erros também amadurece, pelo menos assim dizem os mais velhos.
Precisamos prestar mais atenção no que estamos fazendo, parar de vez em quando, respirar fundo, pensar antes de falar ou agir, refletir, se controlar. Muitas pessoas não conseguem se desligar nem mesmo durante as férias, não olham nos olhos dos filhos, não conseguem ouvir, não conseguem enxergar.
Levantar, trabalhar, estudar sem dúvida são coisas muito importantes e devem ser feitas, os compromissos tem que ser cumpridos, mas tem que ser tudo na mesma hora? Perder um notebook ou um celular hoje em dia pode levar uma pessoa ao suicídio, é sério, isso acontece mesmo. Devemos começar a pensar que as prioridades nem sempre devem ser anotadas e sim sentidas, podemos enxergar com os olhos do coração e relaxar um pouco. Se não der para fazer hoje, amanhã eu consigo, peço ajuda para alguém, não podemos substituir pessoas por aparelhos eletrônicos, tenho pensado muito nisso ultimamente.
Em compensação a tecnologia também traz alivio para as nossas vidas, hoje em dia não imagino ficar sem ela, mas tenho tentado fazer um bom uso disso e ponderar. Mesmo assim ainda ficarei desesperada se minha filha não atender o celular quando eu ligar, fazer o que? Faz parte né! Pode ser apenas um ok e ficaremos aliviados.
O mais absurdo é que se não houve resposta imediatamente somos surpreendidos com pensamentos inexplicáveis, e em sua maioria não são nada bons.Não atenda o celular e você descobrirá que dentro de você habita um Alfred Hitchcock cheio de pensamentos macabros que invadirão a sua cabeça, mas acho que isso também tem a ver com a vida nos tempos atuais, a insegurança, o medo, as notícias na televisão também contribuem para que nos sintamos dessa forma, mas também não podemos nos prender a isso.
Outro dia na sala de espera de um consultório médico eu disse que para mim o mal do século era o celular e a moça ao meu lado ficou me olhando assustada, no mínimo ela achou que eu era louca!rsrsrs  Admito, fui ousada, mas como tudo na vida, precisamos saber usar as coisas para o nosso benefício e se notarmos o exagero, devemos parar , pensar e ajustar as coisas.A vida é um eterno aprendizado.

                                          

Como terapeuta floral desde 2008 já ajudei muitas pessoas a descobrir que sentir nossas emoções é o melhor remédio, por isso se você achar que está exagerando, pare um pouco, procure ajuda, tente se concentrar e fazer com que seu dia seja bom e não perfeito.
Acalme-se, respire fundo por alguns minutos, pense nos compromissos com tranquilidade, faça uma coisa de cada vez e se não der tempo para terminar, amanhã é outro dia!
Vamos tentar?

Use a tecnologia a favor da sua vida, mas não fique presa a ela, procure sentir, ouvir, enxergar e de vez em quando desligar.
Tenha uma vida boa , feliz  e seja grato.

Andréa.






Comentários

Postagens mais visitadas