Desacelere!


Vocês já pararam para pensar que a cada dia parece que o tempo está passando mais rápido, e tudo está mais acelerado ao seu redor? A coisa mais comum nos dias de hoje é ouvir pessoas reclamando que o ano mal começou e já é Natal outra vez, isso desde os mais jovens até os idosos. Todos estão acelerados! Hoje eu gostaria de falar mais um pouco sobre a questão do  tempo. O tempo que nem sempre sabemos aproveitar, nem que seja para assistir aquele filme ao lado da família, já que todos estão sempre tão ocupados com seu próprio “mundo”, mundo individual e tecnológico, onde não há chances para um bate papo descontraído e sem pretensão.
Afinal, o tempo é a chave de tudo e nós temos que ser aliados dele. A nossa rotina determina muito a maneira como encaramos o fluir dos dias. É comum e ao mesmo tempo triste a forma como estamos sempre sem tempo para coisas simples da vida. Precisamos dar mais importância e aproveitar o momento e as pessoas que amamos. Nós temos que ir mais devagar, porque ficamos muito em função da tecnologia e o dia de repente acaba, deixando passar coisas muito importantes.  Precisamos desacelerar!
Olhar para o lado e ouvir o que nossos filhos, maridos, pais e amigos estão nos dizendo. Não dá para deixar pra depois. O depois pode ser tarde demais. Eu tenho três filhos e faço questão de ter tempo para cada um deles. É claro que não sou um modelo a seguir, mas me corrijo e ensino meus filhos a importância de ter tempo para as pessoas que amamos. Faço questão de ensinar também a importância da união e amizade entre os irmãos. 
É claro que a cada dia temos mais coisas para fazer, mais trabalho, mais compromissos, não dá para voltar no tempo e viver como em 1900... mas dá para repensar nosso tempo e transformar a correia do dia a dia.
Perguntei para algumas pessoas próximas, o que elas fazem para desacelerar. Vejam essas dicas!
Desligue-se!
Isso pode ter significado diferente para pessoa. Mas tente fugir dos aparelhos de celular, tabletes, e jogos eletrônicos, (notei que isso é o mais difícil para a grande maioria) tente ficar desconectado por um dia.
Assistir programas de TV é para muitos um momento de se desligar e relaxar. (mas não vale ver noticiário)
Leia um bom livro! Um livro pode te levar para onde você quiser, te faz viajar no tempo e conhecer novos lugares (tudo bem, eu sou suspeita para falar sobre isso).
Sempre que puder desligue seu celular antes de dormir, e se for possível faça isso aos domingos também.
Meditar e fazer exercícios de respiração também é ótimo para desacelerar.
Marque uma massagem e se entregue ao prazer de se cuidar.
Dedique tempo a uma atividade manual.
Pode ser qualquer coisa, faça um bolo, desenhe, pinte, vá para cozinha e invente um almoço especial para família. Fazer artesanato é um ótimo jeito de se desligar da correria. E se você não leva o menor jeito para isso, plante uma muda de rosa, limpe seu armário, ou invente uma brincadeira nova com seu filho.
Faça caminhada sozinha, e aproveite para ouvir aquela banda que você ama e não ouve há muito tempo. E sempre que possível faça isso na praia! E falando em música, dedique um tempo só para ouvir musica, chegue em casa e esqueça que tem uma televisão, ouça musica por uma hora pelo menos.
Visite parques com seus filhos, leve bicicleta, bola, frisbee ou uma maquina fotográfica, mas nada de ficar postando as fotos imediatamente nas redes sociais, deixe isso para mais tarde. Em São Paulo temos muitas opções, veja aqui.
Esqueça o relógio nos finais de semana, ou pelo menos aos domingos. Não fique o tempo todo olhando para o relógio e pensando no tempo que está perdendo, viva o momento.
Tire fotos, revele e depois monte um álbum, rever fotos de encontros e passeios com a família é sem duvida um momento de desaceleração, e reviver as memórias tempos depois é também um ótimo exercício, seus neurônios vão agradecer.
Não se esqueça, vá tomar um café com suas amigas!
Converse com seus filhos, ainda hoje existem muitas barreiras entre pais e filhos quando o assunto é assunto. Sente-se com eles, conte coisas da sua infância, conte como você e seu marido ou esposa se conheceram. Conte como eles cresceram, qual foi a primeira palavra que falaram, quando começaram a andar. Criar esse tipo de vínculo com os filhos é tão importante para eles quanto para nós.
Enfim, desacelere um pouco e curta as coisas simples da vida!
                                              Boa semana Helô H  

Comentários

Postagens mais visitadas