Treinar em jejum emagrece?

Acordar e ir treinar, sem tomar café da manhã. Já vi muita gente que faz isso para acelerar a queima de gordura e, de verdade, fiquei na dúvida, será que dá certo? 
Ir para o treino aeróbico direto, sem tomar café da manhã e de estômago vazio, em tese, nosso corpo seria obrigado a usar a gordura no lugar do açúcar para manter os níveis de energia. 
Durante o jejum, a gordura é disponibilizada para o fornecimento de energia e com isso a sua queima. 

Só que depende da intensidade, da modalidade e do tempo de atividade, pois a partir de um certo momento o corpo começa a utilizar massa muscular para fornecer energia para a atividade.
As pessoas que fazem exercícios aeróbicos em jejum, normalmente, fazem exercícios de baixa intensidade, cerca de 30 a 60 minutos. A baixa intensidade é necessária para que essa pessoa tenha condições de terminar o exercício sem sofrer quedas muito bruscas de energia. Isso pode fazer com que se queime menos calorias do que em um exercício de maior intensidade, realizado depois de se alimentar. Praticantes do aeróbico em jejum, normalmente tomam suplementos para ter energia e poder realizar exercícios mais intensos.
O raciocínio dos estudiosos que defendem esta ideia é o seguinte: ficar várias horas sem comer ocasiona uma redução da glicose (açúcar) no sangue, fazendo com que os níveis de glicogênio (estoque de carboidrato) caiam. Com isto, o corpo libera ácidos graxos (gordura) na corrente sanguínea, utilizando, então, mais gordura como combustível para o treino.
Para quem treina com a intenção de aumentar a massa, treinos que focam o trabalho muscular e treinos aeróbicos de alta intensidade, o jejum não é indicado.
O aeróbico em jejum tem os dois lados, positivos e negativos, ambos com fundamentação científica. Se ele funciona ou não para emagrecer, varia de pessoa para pessoa, o que funciona muito bem para um, pode não funcionar para outro, além de depender muito da dieta de cada um. 
Se você escolher fazer seu aeróbico em jejum, antes de iniciar lembre-se de consultar um médico, nutricionista ou preparador físico para saber quais os reais riscos e os suplementos mais seguros e adequados.



                                              Silvia P.

Comentários

Postagens mais visitadas